Era do streaming: a Netflix mudou o consumo de TV para sempre? — Sinergia Publicidade

Era do streaming: a Netflix mudou o consumo de TV para sempre?

Era do streaming: a Netflix mudou o consumo de TV para sempre?

Era do streaming: a Netflix mudou o consumo de TV para sempre?
Era do streaming: a Netflix mudou o consumo de TV para sempre?

A Netflix tem mais de 137 milhões de assinantes no mundo todo, e seu catálogo pode ser assistido a qualquer momento, sem anúncios, em vários dispositivos com acesso à internet. A empresa oferece filmes, documentários e séries, portanto, é concorrente das emissoras e estúdios de cinema. Por isso, é importante entender o impacto que causa no consumo de TV e na publicidade.

Seria esse o fim dos canais de TV? O que as emissoras estão fazendo para enfrentar essa forte concorrência? Neste artigo respondemos a questões como essa e explicamos de que maneira a publicidade pode se adaptar. Acompanhe!

Os novos hábitos de consumo de mídia e as soluções inovadoras

Assim como a mídia impressa, editoras de livros e gravadoras de música, os canais de TV estão lidando com mudanças de hábitos de consumo. A Netflix, que está cada vez mais popular, pode ser utilizada em computadores, tablets, smartphones e até mesmo em aparelhos de televisão com acesso à internet.

Em 2014, a Ericsson realizou uma pesquisa que constatou que 75% da população assiste a algum tipo de vídeo sob demanda várias vezes por semana, número apenas um pouco abaixo daqueles que dizem ver TV mais de uma vez em 7 dias (77%).

Cientes da situação, empresas de televisão e estúdios de cinema do mundo inteiro estão desenvolvendo estratégias de distribuição digital de suas programações. O Hulu, por exemplo, é uma plataforma criada em conjunto pela Walt Disney, 21st Century Fox, Comcast e Time Warner com vídeos ao vivo e sob demanda.

No Brasil, a maior emissora lançou o Globo Play, plataforma na qual é possível assistir a novelas e outros programas. A Record fez o mesmo, além de disponibilizar alguns conteúdos complementares no R7, seu portal de internet, no YouTube e na própria Netflix.

Ainda em 2019, outras soluções devem surgir no mercado. O grupo Disney já pretende lançar sua plataforma de streaming, assim como a Apple.

A relação entre o consumo de TV e empresas de streaming

Embora a Netflix esteja inovando, o consumo de TV não deve acabar, pelo menos não em curto ou médio prazo. As emissoras e os canais por assinatura não costumam disponibilizar todos os seus conteúdos gratuitamente na internet. Afinal, precisam gerar receita para se manter no mercado.

Além disso, alguns programas não fazem tanto sentido sob demanda, como esportes e grandes eventos, que geralmente são veiculados ao vivo e podem ser um importante diferencial para os canais de TV.

Outro motivo pelo qual o consumo de TV deverá continuar é a abrangência do sinal e limitação da internet. A Globo, por exemplo, ainda tem grande força cultural e cobre praticamente todos os cantos do território brasileiro, onde nem todos têm acesso à rede.

Além de tudo isso, existe uma certa interdependência entre TV, cinema e serviços de streaming. Apesar de ter produções próprias, a maioria do conteúdo disponível na Netflix é de outras empresas. Os produtores também ganham com isso: em geral, os conteúdos só são liberados após algum tempo, o que ajuda a obter público para as temporadas seguintes de seus programas.

O consumo de TV e a publicidade na era do streaming

Como as pessoas continuarão consumindo conteúdos na TV, é natural que ela ainda permaneça como um canal atrativo para a publicidade. ​Algumas possibilidades podem, inclusive, surgir para anunciantes, que devem ganhar mais visibilidade.

Afinal, as emissoras devem publicar cada vez mais seus vídeos na internet, seja por meio de estratégias de cross media (quando um mesmo conteúdo, inalterado, é veiculado em diferentes plataformas), seja de transmídia (quando o assunto é complementar).

As transmissões ao vivo, que deverão permanecer como um diferencial das emissoras, beneficiarão o merchandising durante os comerciais, como acontece no Super Bowl nos Estados Unidos.

A Netflix é a empresa de streaming principal da atualidade. Embora sua plataforma tenha revolucionado a maneira como as pessoas assistem a vídeos, não representa, ainda, uma ameaça tão grande ao consumo de TV. É claro que, para isso, as emissoras precisarão se adaptar e também oferecer conteúdos de qualidade na internet.

E você? Está a fim de aprender mais sobre o assunto? Então confira 5 coisas que você precisa saber sobre a relação entre a TV e o YouTube.