Reposicionamento de marca: saiba quando e por que fazer — Sinergia Publicidade

Reposicionamento de marca: saiba quando e por que fazer

Reposicionamento de marca: saiba quando e por que fazer
Reposicionamento de marca: saiba quando e por que fazer

O rebranding ou reposicionamento de marca já está no mercado há muito tempo, garantindo a longevidade de diversas empresas. Você já reparou como algumas marcas mudaram ao longo dos anos?

Pense no exemplo do McDonald’s, que passou a fornecer saladas e frutas no cardápio mesmo sendo uma rede mundialmente conhecida por vender hambúrgueres baratos e rápidos — como todo bom fast food.

A própria Apple, no início dos anos 1990, sofria com a baixa de vendas, perdendo clientes para a rival Microsoft. A empresa só começou a ter destaque maior ao investir em design moderno, inovador e minimalista, oferecendo uma experiência e não mais apenas um produto.

Essas marcas sentiram necessidade de redefinir sua estratégia por conta de mudanças no mercado ou mesmo pelos baixos resultados alcançados. Há vários motivos para um rebranding, por isso, é preciso saber como identificá-los e a hora certa de mudar.

O que é o reposicionamento de marca?

O conceito de rebranding está ligado à alteração de elementos que compõem a marca de forma a criar uma nova identidade para ela. Basicamente, é trabalhar novas formas de comunicação e design para mudar a imagem da marca na mente dos consumidores.

Por exemplo, se o seu público espera que sua marca seja sustentável e inovadora, não adianta forçar a imagem de uma empresa clássica, séria e que não dá atenção ao assunto sustentabilidade.

O importante no reposicionamento é que a organização compreenda as questões de mercado e esteja muito conectada às tendências de consumo, além de estudar seu consumidor para saber como ele vê a marca e o que ele espera dela.

Um exemplo clássico é o da marca Pepsi, que passou a se posicionar como segunda opção para refrigerantes de cola, quando detectou que, na mente do consumidor, ela não alcançaria a primeira posição. Essa ação aumentou as vendas do refrigerante.

Por que você deve investir nisso?

Existem diversos motivos para investir em rebranding. Pode ser que a empresa identifique tendências importantes, como o caso do McDonald’s, que verificou o crescimento na procura por comidas mais saudáveis, além da pressão pelo uso de materiais recicláveis nas embalagens.

Outra razão é o baixo volume de vendas ou a desvalorização de um produto na mente do consumidor, como aconteceu com as Havaianas, que há alguns anos viu a diminuição nas vendas de seu produto e entendeu que o chinelo não transmitia diferencial algum ao cliente.

Investindo no reposicionamento de marca, a empresa conseguiu transmitir uma percepção de qualidade e status em seu produto, que hoje custa mais caro e é usado até mesmo por artistas pelas ruas do país e fora dele.

Em resumo, podemos concluir que os motivos para uma empresa implementar o rebranding são: aumento de vendas; valorização do produto; alinhamento com a percepção do consumidor, entre outros.

Como saber se sua marca precisa de um reposicionamento?

Agora que já vimos a importância de um reposicionamento, vamos falar sobre como fazer o diagnóstico para identificar se a sua marca precisa de um. Separamos alguns dos principais fatores que podem levar uma empresa a ter de fazer um rebranding:

  • processos de fusão ou separação de empresas;
  • conotação negativa atrelada à sua marca — se sua empresa está ligada a qualquer tipo de menção que deixou uma imagem manchada na mente de seu púbico;
  • marca não consegue transmitir o posicionamento da empresa para mercado;
  • imagem e design não são bem aceitos pelo público, como um logotipo com muitos detalhes que dificultam sua visualização e memorização, ou até mesmo cores que não ornam com a imagem a ser passada;
  • mudança no segmento de atuação da empresa;
  • concorrência ganhando mercado por ter uma oferta mais atrativa que a sua ou se diferenciar por marca;
  • mudança na proposta de valor da marca, por exemplo, quer passar uma impressão mais premium;
  • comunicação visual antiga, logotipo e cores não se modernizaram com o passar dos anos.
  • mudanças no comportamento do consumidor, como o crescimento da preocupação com sustentabilidade, comidas saudáveis, respeito aos animais etc.;
  • novos players no mercado, obrigando sua empresa a se destacar para não perder espaço;
  • crise no mercado de atuação, que pode acontecer por pressões políticas, sociais, novas leis ou mesmo crise econômica.

Qual a importância do planejamento de branding para esse processo?

Um bom planejamento de branding pode facilitar o processo de implementação do reposicionamento de sua marca no mercado. Para fazer isso de maneira eficiente, você deve seguir os passos de um planejamento:

Estude o cenário

Verifique pontos fortes e fracos, oportunidades e ameaças. É importante avaliar também o que a concorrência está fazendo. Antes de começar o reposicionamento, entenda o que levou a sua empresa e marca a precisarem se reposicionar. Assim, terá um ponto de partida.

Analise seu consumidor

O posicionamento de marca não é estático, pois o público também está em constante transformação. Entenda seus novos hábitos de consumo, anseios, necessidades, posições e ideologias para poder se adequar da melhor maneira possível.

Implemente o rebranding

Conhecendo a situação do mercado, as características internas de sua empresa e as expectativas de seu consumidor, você já pode redesenhar sua estratégia de marca. É importante fazer essa reconstrução levando em conta os seguintes pontos:

  • transmitir os valores da empresa;
  • ter uma identidade visual robusta (cores, logotipos, materiais);
  • alinhar a linguagem e os canais de comunicação;
  • avaliar constantemente os resultados dessa nova estratégia.

O reposicionamento de marca é muito importante para uma empresa, podendo ser responsável pelo seu sucesso e perenidade. Como mostramos em alguns exemplos, grandes corporações tiveram essa sacada a tempo e conseguiram resultados positivos.

Para entender se sua empresa precisa aplicar o rebranding, faça um diagnóstico aprofundado de seu mercado, avalie as tendências do setor, faça pesquisas com clientes e potenciais consumidores, use as redes sociais para captar insights de seu público. Por fim, lembre-se de fazer um planejamento de branding organizado e sólido para ter sucesso na hora de fazer o reposicionamento de marca.

Curtiu este post e quer acompanhar outros conteúdos sobre marketing? Basta seguir nossa página no Facebook para ficar por dentro das nossas atualizações.