TV x YouTube: 5 coisas que você precisa saber sobre esta relação — Sinergia Publicidade

TV x YouTube: 5 coisas que você precisa saber sobre esta relação

TV x YouTube: 5 coisas que você precisa saber sobre esta relação

Pare e pense: quantas vezes, nos últimos dias, você acessou o seu celular enquanto assistia a alguma coisa na TV? Dá para apostar que isso aconteceu com você e, se por acaso não, não tenha dúvidas de que aconteceu com alguém muito perto de você! Afinal, o fenômeno da segunda tela é uma das tendências mais importantes quando o assunto é conteúdo.

E simplesmente não dá para compreender o que está acontecendo com a comunicação na televisão e na internet sem conhecer esse aspecto. Nesse cenário, uma relação merece atenção ainda mais especial: estamos falando da relação TV x YouTube.

Há quem diga que um veio para substituir o outro, há quem defenda com todas as forças que são complementares e que se ajudam. Neste artigo, vamos compreender quais são os fatores que devem ser levados em conta ao se analisar a relação entre TV e YouTube, mostrando como essas mídias interagem e como elas podem e devem ser utilizadas em favor do crescimento de uma marca. Boa leitura!

A presença da TV

Foi na década de 1950 que a televisão começou a entrar nos lares dos brasileiros. Desde então, foram lançados dezenas de programas que, podemos dizer sem medo de errar, fazem parte da formação do Brasil enquanto nação.

Afinal, as pessoas se reuniam em frente à TV para assistir aos seus programas favoritos e faziam desses encontros verdadeiros acontecimentos. Muitas vezes, era o conteúdo desses programas que pautava as conversas por todos os lados.

Hoje em dia, é claro que o acesso à informação e ao conteúdo de entretenimento ficou muito mais fácil: muitas vezes, basta um clique na tela do smartphone para assistir a um vídeo ao vivo, ao seu programa favorito ou ao filme mais recente, justamente aquele que você está ansioso para assistir.

Isso trouxe uma mudança na forma de os telespectadores se relacionarem com a televisão, é claro, mas não significa, necessariamente, que ela está ficando sem espaço na vida das pessoas. Muito pelo contrário: a experiência de assistir a TV se tornou muito mais interessante com o advento da internet.

A dinâmica do YouTube

O YouTube é a mais tradicional plataforma de compartilhamento de vídeos, e está no ar desde 2005.

Ele permite ao usuário acessar o vídeo que quiser, no momento em que desejar, com muita facilidade e velocidade. E, a cada dia, o volume de conteúdo disponível na plataforma cresce, em velocidade assustadora. Não por acaso, foi eleita pela revista Time, em 2006, como a melhor invenção do ano. Tentador, não é mesmo?

Ainda mais nos dias de hoje, quando a integração entre diversos dispositivos permite que o conteúdo seja transmitido em diversas mídias: smartphones, tablets, computadores e a própria televisão.

A relação TV x YouTube

Justamente por todos os benefícios mencionados, muito se discute sobre o papel do YouTube nos dias atuais, e é inevitável a análise de sua relação com a TV. Mas, antes de sair por aí dizendo que TV X YouTube é uma briga, e não uma parceria, há algumas coisas que você deve saber.

Vamos lá!

1. A TV é a mídia mais consumida pelos brasileiros

Entra ano, sai ano e a televisão continua sendo a mídia mais consumida pelos brasileiros. Quase 97% dos lares nacionais têm ao menos um aparelho televisor e esse ainda é o meio de comunicação preferido da população.

Os dados da Pesquisa Brasileira de Mídia, realizada em 2016, mostram que somos um povo que consome conteúdo televisivo em grandes volumes. 77% da população afirmam assistir à televisão sete dias por semana, o que demonstra o imenso poder da TV, mesmo na era da internet.

É claro que, para se manter com sucesso em um mercado cada vez mais dinâmico, produtores de conteúdo, anunciantes e programadores têm que se reinventar sempre, e assim, manter a atração dos telespectadores.

2. O YouTube não vai matar a TV

Uma das características mais marcantes dos dias atuais é o aumento expressivo do consumo de conteúdo. Isso significa que tem espaço para todo mundo: é preciso encontrar formas de se diferenciar em um mercado competitivo, oferecendo conteúdo relevante para os consumidores, com qualidade e facilidade.

O YouTube não vai matar a TV, e as duas plataformas podem, inclusive, atuar como aliadas no processo de conquista e fidelização de consumidores cada vez mais exigentes. É preciso encontrar formas de linkar conteúdos, convidar o telespectador a interagir nas mais diversas plataformas, utilizar os avanços da tecnologia em favor do fortalecimento de uma marca.

3. O fenômeno da convergência de mídia não vai parar de crescer

Assistir a um programa enquanto comenta com amigos em seu aplicativo de mensagens instantâneas, ver um comercial de TV de um produto e fazer a compra online, descobrir uma série nova em função de um comentário no twitter, são só alguns exemplos de como a convergência de mídias chegou para ficar.

Nesse cenário, cabe às marcas que querem conquistar o seu espaço a compreensão de que é importante acompanhar de perto as mudanças do universo de consumo e estar preparado para utilizar a convergência de mídias em seu favor.

Além disso, televisão, YouTube, redes sociais, Netflix, e todas as plataformas de entretenimento devem conhecer seus clientes, seus diferenciais e preferências, para serem capazes de oferecer conteúdo cada vez mais personalizado e direcionado. Além disso, lembre-se sempre: boas parcerias são fundamentais.

4. Se reinventar é fundamental

Não dá para oferecer o mesmo conteúdo que você oferecia aos seus consumidores há cinco anos. Os clientes estão cada vez mais exigentes e bem-informados e buscam constantemente soluções inovadoras e surpreendentes.

Assim, é preciso estar em constante evolução, se reinventando e descobrindo novas estratégias de atuação a cada dia.

5. A segunda tela fortalece a primeira tela

É preciso compreender, de uma vez por todas, que a segunda tela não é uma inimiga da primeira tela, mas uma aliada. As empresas que sabem aproveitar esse fenômeno têm tornado sua programação cada vez mais interessante e bem-sucedida, na medida em que usam e abusam da interatividade e do alcance que a segunda tela propicia.

Que tal pensar em uma programação onde a opinião do telespectador conta muito? Ou abrir espaço para que ele se manifeste, seja via redes sociais ou aplicativo, colocando os dados que vieram pela segunda tela direto na televisão? Essas pequenas ações fortalecem o relacionamento e tornam a marca cada vez mais poderosa.

A relação TV x YouTube não precisa ser conflituosa e muito menos catastrófica. Muito pelo contrário: além de fortalecer uma a outra, essas mídias podem e vão coexistir por muito tempo.

Às marcas que precisam decidir como investir em anúncios e merchandising, o desafio é compreender como utilizar o melhor de cada uma dessas mídias, otimizando cada vez mais os resultados. E, para isso, claro, é fundamental contar com quem entende do assunto e acompanha de perto as evoluções do marketing e da publicidade.

Tá precisando fortalecer sua marca? Vem conversar com a gente!